Livro – O símbolo perdido

Último livro de Dan Brown trata de uma aventura com Robert Langdon (novamente). Se você leu um livro, é provável que já tenha lido todos. Não estou falando que as histórias são ruins, muito pelo contrário, gostei bastante de O Código da Vinci. Mas em todas as histórias, o enredo é basicamente o mesmo: Langdon sempre acaba no meio de um problema e ele tem que resolver, caso contrário algo muito sério vai acontecer.


O professor Langdon deve ser um cara que entende muito de simbologia, mas muito mesmo. Sei que ele é professor, mas o bichinho manja de tudo quanto é assunto relacionado a essa área. Além de ter uma memória incrível (ele chega a citar que possui memória fotográfica, mas mesmo assim fico abestada com o tanto de coisa que sai da cabeça dele). E é lógico que na história sempre tem uma mulher bonita que ele acaba salvando, mas que em nenhum momento fala se ele tem algum envolvomento a mais com alguma delas.

Não sei se estou enjoando dos livros do Dan Brown (acredito que tenha lido todos), mas achei esse o mais fraquinho. Não teve aquela coisa de querer saber logo o final como eu fiz com outros livros. Não grudei no livro, ficando acordada até tarde, lendo no fretado para chegar logo no fim. Eu aproveitava as horas que dava para ler, não criava essas horas como já fiz outras vezes..rs

Esse livro trata de um assunto bastante obscuro para mim, toda a história é em relação a maçonaria. Eu já ouvi falar de maçonaria antes pela minha amiga cujo pai é maçom. Além disso, quando fazia faculdade no interior, havia um boato de um grupo que se encontrava em um local meio estranho e eles eram maçons.

E era só isso, nada demais. Só sabia que não aceitava mulheres e ponto. Não sabia o objetivo nem nada. Descobri bastante coisa em relação a isso com o livro, o problema é saber se muito que ele escreveu é realmente real.

Distinguir o que é realidade do que não é.
Isso é algo que sempre achei complicado nos livros do Brown, afinal ele te dá todo um embasamento sobre os fatos. E como os livros tratam bastante de religião e eu não sou uma pessoa religiosa, fica ainda mais complicado.

Como eu não leio os livros para aprender religião e sim como uma forma de entretenimento, isso não é algo que me incomode. Aprendo algo (pois deve ter bastante coisa no enredo que deve ser verdade) e passa o tempo.

E esse é o objetivo da leitura para mim.

Anúncios

Autor: Fernanda

Zootecnista e Cientista da Computação. Precisa dizer algo mais, além de ter certeza que não deve ser normal?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s