Filme – Snoopy & Charlie Brown: Peanuts, o Filme

peanutsdest

Quem não conhece Snoopy, Charlie Brown e sua turma? Lembro que mandava cartões físicos (sim, sou da época de troca de cartas) e virtuais do Snoopy há muitos muitos anos atrás. Ou seja, Snoopy presente desde a infância. Infelizmente Snoopy parou de ser escrito em 2000 com a morte de Charles M. Schulz.

O filme começa com o primeiro dia de neve, ao qual as aulas foram canceladas. Todas as crianças vão fazer o que crianças fazem: sair para brincar. Charlie Brown tenta fazer algo que nunca deu certo, o que ocorre nesse dia também. Nesse mesmo dia, muda uma nova vizinha para a casa da frente de Charlie Brown e ele se apaixona por ela assim que a vê. E é por ela, a Garotinha Ruiva, que Charlie Brown tenta mudar para conquistá-la,  mostrando que não é o azarado que todos acreditam.

Enquanto isso, Snoopy está enfrentando seu inimigo, Barão Vermelho, para salvar a cadelinha Fifi. Mas Snoopy sempre está lá para ajudar seu dono quando necessárop, seja ensinando a dançar ou apertando a campainha da casa da Garotinha Ruiva.

Durante o filme, me peguei pensando que eu não lembro de ter assistido aos desenhos do Snoopy ou acompanhando as tirinhas, mas cenas do Snoopy dançando é um clássico e que fez surgir um sorriso no rosto ao ver.

celebrity-pictures-peanuts-snoopy-charlie-brown-happiness

 

 

Anúncios

Sem saber

Sabe aquela cena em filme/livro em que a personagem principal recebe uma carta ou vê algo que muda todo o curso da história?  E então a história vai para um ponto totalmente diferente, com outras personagens e… chega o final da história e acaba tudo bem, com todos felizes. Só que ficamos sem saber o que foi visto ou lido naquela cena tão decisiva.

Quando isso acontece me dá uma raiva imensa. Terminar a história sem saber qual foi o motivo que levou  ao perdão, para a reconciliação ou apenas ao final do filme é um saco. Entendo que não contar tem seus mistério também. Continuar com a magia, deixar por conta da criatividade também é bastante estimulante. Esse fato aconteceu com o último livro em que li: Desculpa se te chamo de amor, de Federico Moccia. Uma linda história de amor entre um casal que posuem visões e estilos de vida totalmente diferentes, além de existir uma grande diferença de idade (aproximadamente 20 anos). Eles reconciliaram após ela ter recebido uma carta escrita por ele e vai até o seu encontro. Agora a pergunta que não quer calar: O que a carta continha?

Ah, mas isso é algo que nunca saberemos. Ou melhor: cada um poderá escrever a carta que melhor lhe apetecer dando asas para a imaginação.

Obs: Parece que foi publicado a continuação dessa história. Infelizmente não foi lançada uma versão em português, mas para quem sabe ler em italiano fica a dica: Scusa Ma Ti Voglio Sposari.

Livros que viraram filmes

Acabei de ler Julie e Julia, um livro que já virou filme. Um livro  bom, apesar de ter muitos nomes (em francês) de receitas ao qual não tenho a mínima idéia do que se trata. Adorei a atuação da Meryl Streep, principalmente a vozinha afetada dela. E até acho que ela deveria ter ganho o Oscar em vez da Sandra Bullock.  Ler esse livro me fez pensar em todos os livros que viraram filmes e tentei fazer uma lista com os filmes que originaram de filmes e que eu tenha assistido o filme e lido o livro. Os filmes/livros que lembrei foram:

Alguns títulos de filmes originados de livros

– O Cliente

– Ensaio sobre a cegueira

– Série Harry Potter

– Senhor dos anéis

– Série Crepúsculo

– O menino do pijama listrado

– Crônicas de Nárnia

– O Silêncio dos inocentes

– As brumas de Avalon

– O colecionador de ossos

– O código da Vinci

– Marley & eu

– Carandiru

– O caçador de pipas

– Julie & Julia

Sei que existem outros tantos de filmes que foram baseados em livros, como O paciente inglês, A lista de Schindler, entre tantos outros. Mas mesmo que tenha assistido o filme, eu não li o livro e por isso ficaram fora da lista. E eu devo ter esquecido vários outros títulos ao qual eu tenha lido e assistido o livro e filme, respectivamente, já que a minha memória não é das melhores.

Fora isso, acredito que a maioria dos filmes seja baseado em algum livro ou pelo menos utilize referências de livros. Afinal, criar enredos deve ser muito parecido “Nada se cria, tudo se modifica”, como é em programação (minha ex-área de atuação).  Agora estou esperando estrear o filme “Comer, rezar e amar”. Li o livro e gostei bastante. Vamos ver como a Julia Roberts se sai no filme!

100 coisas sobre mim

1 – Sou formada em Zootecnia e graduanda em Ciência da Computação
2 – Tenho duas labs: Leka e Lana
3 – Adoro livros e não me incomodo de ler no computador, mas minha concentração é menor quando leio no computador
4 – Era uma boa aluna no colégio, já na faculdade nem tanto.
5 – Sou viciada em seriados e filmes. Apesar que ultimamente não tenho gostado dos finais dos filmes. Sempre tenho a impressão que poderia ter sido melhor
6 – Tenho um IMC de quase 17, um dia chego no 18 e viro uma pessoa normal. Mas mesmo assim tenho complexo com a minha barriga
7 – Detesto comprar calça, nunca acho do meu tamanho
8 – Comecei a me interessar por maquiagem há pouco tempo
9 – Adoro dirigir, principalmente na estrada
10 – Detesto programas de trote que passam no rádio
11 – Adoro cozinhar, apesar de quase não ir para a cozinha
12 – Adoro ver receitas quando estou com fome
13 – Prefiro fazer doces, apesar de não ser chegada em doces
14 – Adoro ir em restaurantes diferentes, principalmete para conhecer comidas diferentes
15 – Nunca viajei para o exterior
16 – Meu livro favorito é Pollyanna e adepta do “pelo menos”. Para quem não conhece a história, leia. Vale a pena
17 – Detesto política
18 – Controlo meus gastos para evitar surpresas no fim do mês
19 – Faço academia há 3 anos e ainda não gosto de malhar
20 – Tenho escoliose e tendinite
21 – Trabalho melhor ouvindo música
22 – Tenho vergonha de cantar na frente dos outros
23 – Tenho mania de organização
24 – Preciso de rotina na minha vida
25 – Invisto em renda fixa e variável
26 – Tenho alergia colinérgica e alergia a meia-fina. Bizarro né?
27 – Não consigo dormir com som ou luz no ambiente
28 – Tenho bruxismo, mas não sei qual a causa
29 – Uso óculos, mas dificilmente alguém me vê usando
30 – Morei durante 5 anos em Botucatu
31 – Não acordo mais cedo para tomar banho, mas não importa a hora que eu chego, tenho que tomar banho antes de ir dormir. Detalhe: tenho de lavar o cabelo, não importa a hora
32 – Bebo cerveja, apesar de não gostar muito do sabor
33 – Fiz aula de piano clássico, mas atualmente não sei se consigo tocar mais
34 – Falo demais quando estou nervosa
35 – Gostaria de saber contar piadas
36 – Não sou uma pesssoa bem humorada ao acordar
37 – Minha coordenação motora não é das melhores
38 – Já desmaiei algumas vezes
39 – Quero aprender a tirar fotos decentes e utilizar aquelas máquinas com ajustes manuais
40 – Adoro jogos de lógica
41 – Não fico morena, fico vermelha após tomar sol
42 – Sei fazer crochê, mas não tricô
43 – Prefiro Burger King do que McDonald’s
44 – Sempre aperto o meio do tubo da pasta de dente.
45 – Nunca quebrei nenhum osso, apenas tive torções
46 – Nunca tive gatos
47 – Não me importo de ouvir a mesma música diversas vezes seguidas quando realmente gosto dela
48 – Desacostumei a assistir seriado com comerciais
49 – Durmo em torno de 6 hrs por noite todos os dias
50 – Não bebo café normalmente, apenas quando realmente preciso ficar acordada
51 – Sou descendente de japoneses, mas não sei falar japonês nem preparar comida japonesa. Uma vergonha, eu sei
52 – Não consigo usar bolsa pequena e ultimamente nem carteira pequena. É tanta papelada lá dentro. Dinheiro que é bom, necas
53 – Ironia, sarcasticidade, mal humor e impaciência são minha marca registrada
54 – Converso comigo mesma (sim, com perguntas e respostas também!) e em inglês, mas não, meu inglês não é muito bom
55 – Tenho problemas em guardar assuntos importantes na memória, mas cultura inútil é comigo mesmo
56 – Já usei lente de contato. Tive de parar por conta de uma úlcera em um dos olhos
57 – Apesar da minha mania de organização, essa lista não está organizada de maneira alguma
58 – Sou péssima para cuidar de plantar, já animais sobrevivem na minha mão
59 – Não sei lidar com crianças, mas por algum motivo desconhecido elas gostam de mim
60 – Aprendi que faculdade te ensina um monte de coisa que você nunca utilizará na vida profissional
61 – Gosto de comidas que muita gente não gosta, como rabada, dobradinha, fígado, língua e coração bovina e jaca
62 – Suco de melância é meu suco predileto e eu adoro Fanta Uva. Fiquei super contente quando voltaram a produzir
63 – Não como carne de porco, exceto na feijoada ou a costela do Outback
64 – Adoro gadgets, principalmente celulares
65 – Sou uma pessoa extremamente friorenta
66 – Vivo exagerando na comida e depois tento compensar na academia
67 – Tem dias que gosto do meu cabelo, mas de maneira geral gostaria que fosse diferente
68 – Sou desastrada e estabanada, e vivo sujando a roupa quando como
69 – Gosto de estalar os dedos
70 – Tenho ciúmes das minhas coisas e por isso não gosto muito de emprestá-las. Outras pessoas nunca têm o mesmo cuidado que eu
71 – Meu despertador é meu celular e acordo ouvindo música
72 – Queria aprender a tocar saxofone
73 – Não tenho férias de fato há 3 anos
74 – Arranquei todos os meus dentes do siso. Sou uma pessoa sem juízo
75 – Tenho o 2º dedo do pé (aquele que fica ao lado do dedão) mais comprido que o dedão. Sou uma pessoa mandona por isso?
76 – Sou noturna. Passou das 22 hrs perco totalmente o sono e ele só volta lá pela meia noite e tantas
77 – Esqueço datas, não lembro o nome das pessoas, não consigo ligar a pessoa ao nome. Imagine o quanto sofri de trote na faculdade por causa disso. E hoje é meu namorado que me lembra das nossas comemorações
78 – Como uma boa ariana, sou altamente competitiva
79 – Não sei pintar minha unha direito, principalmente a dos pés
80 – Internet foi uma das melhores invenções dos últimos tempos
81 – Adoro cheiro de grama molhada. Tem coisa melhor que cheiro de chuva?
82 – Não sou fã de esportes e não acompanho nada, nem Olimpíadas nem qualquer evento esportivo
83 – Nunca fiz bolo de caixinha. Aliás, acho que nunca fiz bolo nenhum na vida
84 – Antes eu não chorava em filmes, agora sou a mais manteiga derretida. Choro até em desenho
85 – Tenho uns sonhos muito estranhos e muitas vezes trago os sentimentos do sonho para a vida real
86 – Fiz aulas de japonês durante anos, mas hoje não lembro de quase nada
87 – Tenho um cuidado especial pelo meu carro, e o considero como minha segunda casa
88 – Adoro guardar tudo quanto é coisa e de tempos em tempos tenho que fazer uma limpeza nas coisas. Resultado: jogo um monte de coisa fora
89 – Gostaria que meu cílios fossem curvados e eu não precisasse mais usar curvex
90 – Vivo procrastinando um monte de coisa e depois tenho de varar a noite para deixar tudo pronto
91 – Separo a roupa do dia seguinte na noite anterior
92 – Não gosto de roupa estampada, minhas peças geralmente são todas lisas
93 – Não sei se tenho labirintite ou algo parecido, mas passo mal se sento de costas para o sentido que estou indo, por exemplo em trem. Máximo de lado, mas de preferência tem que ser de frente para o sentido do meio de transporte
94 – Não gosto de rede, passo mal com o balançar dela
95 – Não tenho secador de cabelo. Preciso comprar urgente, mas sempre aparece outra coisa mais importante para comprar e acabo postergando
96 – Detesto vendedores de loja que ficam te seguindo enquanto está vendo vitrine. Saio da loja e desisto da compra
97 – Tenho compulsão em comprar livros. Tem uma pilha enorme para ser lida e continuo comprando mais
98 – Gosto de video-game, mas não jogo muito. Fico com a impressão que é um tempo perdido e poderia fazer algo bem mais útil nesse tempo
99 – Gostaria de ser mais paciente, calma, menos ansiosa, mehor memória e ter mais concentração. Como faz?
100 – Muito difícil fazer uma lista assim. Fiquei sem idéias várias vezes. Parabéns por ter chego até aqui! Achei que ninguém fosse ler até o final.

Notícias de Julho

Sei que agosto já começou, mas queria falar de julho:

– Muitos aniversários em julho: Para ter idéia foram 5 aniversários em menos de duas semanas. E só do meu projeto.

– Bruxa do relacionamento está solta: Muitas amigas brigando com o namorado pelo mais diversos motivos.

– Licença maternidade: minha amiga grávida entrou em licença maternidade. A bebê já está encaixada. Agora qualquer hora é hora.

– Fisioterapia: Fiquei com muitas dores e tive que parar a academia e fazer fisioterapia. Foram 10 sessões que não me ajudaram em nada para falar a verdade. E eu ainda não voltei no ortopedista.

– Peso: Com a parada da academia por causa da fisioterapia, meus resultados (ganho de peso, definição do corpo) foram totalmente perdidos. Preciso voltar com força total para recuperar tudo. (Sim, eu faço academia para engordar).

– Curso: Estou fazendo cursos aos domingos. Em vez de descansar no domingo, acordo cedo e vou estudar. E é o dia inteiro!!

– Série de TV: Comecei a assistir uma série (mais uma!) que é muito legal. Lembra um pouco Friends por ser em Nova York e por ser um grupo de amigos e é muito bacana. O nome é How I met your mother, carinhosamente chamado de HIMYM para simplicar na escrita..rsrs

– 3G: Agora estou mais tecnológica do que nunca. Estou com um chip 3G que me deixa conectada o dia inteiro na internet. Agora só preciso resolver o problema da falta de bateria do celular no final da tarde.

– Filme: Assisti A era do gelo 3 em 3D. Muito legal!! Adorei, vou esperar o lançamento de outros filmes e assistir também. Compensa pagar um pouco mais caro. E assisti Harry Potter também, só que nem lembro mais da história direito. Faz um bom tempo que li os livros.

– Encontro: Participei de um super Orkontro em Itatiba, terra de Aninha querida. Encontro muito legal com pessoas especiais. Encontro que espero que se repita.

Encontro em Itatiba
Encontro em Itatiba

É, acho que por enquanto é só. Se eu lembrar de mais algo, escrevo depois!!

Quem quer ser um milionário

Slumdog Millionaire

O último filme que assisti foi o ganhador do Oscar “Quem quer ser um milionário” (Slumdog Millionaire). Muitos filmes que ganharam o Oscar não me apeteceram, mas esse eu gostei. O ritmo, música, a história são muito legais. E talvez a identificação seja mais do que apenas isso.

Slumdog Millionaire1

Sllumdog Millionaire 2

Achei uma resenha do filme bem interessante:

Tudo no vencedor do Oscar “Quem quer ser um milionário” é bom: argumento, roteiro, edição, direção, atores. Mas que não fique nenhuma dúvida: é um jeito original de contar uma história de amor.

Para o espectador brasileiro, que pela novela da Globo vem se familiarizando com a Índia, o que mais deveria chamar a atenção são as semelhanças com o Brasil.

A pobreza e a desigualdade não chegam a nos surpreender, certo? A exploração de crianças pobres por grandes grupos, a violência, as drogas, tudo isso nós aqui sabemos bem como funciona. A discriminação com o favelado – palavra que está o título original, Slumdog milionaire – também conhecemos.

Noves fora a história de amor e as desigualdades da Índia, o que há de melhor no filme?

O seu argumento central: aquilo que a vida ensinou ao protagonista, Jamil, foi mais valioso do que tudo que estava nos livros.

É com uma acusação – como pode um simples favelado acertar todas as respostas? – que o filme começa. Jamil está prestes a vencer o grande prêmio e é preso, acusado de fraude.

Aos poucos, ele vai contando para a polícia como adquiriu toda aquela sabedoria que o levou até a rodada final do programa. E para chegar até ali ele teve que aprender, inclusive, a desconfiar das pessoas, na cena em que o apresentador do programa tenta enganá-lo.

Favelados não são homens de letras capazes de saber, tanto que diante da pergunta sobre o livro de Alexandre Dumas, Jamil afirma que não sabe nem ler e arranca gargalhadas do apresentador.

Favelados são facilmente manipuláveis, são fraudadores, são ladrões, ou são ingênuos demais a ponto de fazer o que o apresentador do programa está mandando. Favelados não vencem.

“Quem quer ser um milionário” oferece, assim, dois finais felizes de uma vez só, e vende duas ilusões: a da história de amor, que sustenta a bilheteria e o sucesso do filme, a da superação de Jamil da condição de slumdog, que tem tudo para agradar ao espectador brasileiro.

Texto retirado do Blog de Carla Rodrigues.

Sem juízo

Resolvi que o feriado de Carnaval seria uma boa época para arrancar o dente do juízo, também conhecido como siso. Apesar de todos no serviço não terem acreditado em mim quando falei que estava saindo mais cedo na sexta de Carnaval para ir ao dentista, isso realmente era um fato.

Essa extração de dente foi bem mais simples do que a minha última extração. Que eu acho que foi tão traumática que não me lembro de muita coisa dela. Ou melhor, as coisas que lembro era melhor não lembrar. Mas dessa vez foi totalmente diferente, o dente já tinha nascido e tudo ficou mais fácil. E foi rapidinho, não demorou nem uma hora para fazer tudo. Também nem precisei tomar antibiótico, só um remédio para tirar dor caso fosse necessário.

Como a extração foi ontem, hoje foi dia de ficar de molho em casa. Nada mais que meu namorado resolve vir para cuidar de mim! Adorei a visita surpresa dele! E como não poderia de ser, assistimos várias coisas que estavam atrasadas. Mas nenhum filme, apenas seriados ao qual temos uma longa lista para assistir.

O casamento de RachelApenas para não perder o costume sobre tratar de filmes, ontem assisti “O casamento de Rachel” (Rachel getting Married) com a Anne Hathaway (indicada ao Oscar de melhor atriz). Para quem não lembra dela, ela atuou em Diário de uma Princesa, O segredo de Brockeback Mountain, O diabo veste Prada, Agente 86). O filme trata da volta de Kimmye (Anne Hathaway) de uma clínica de reabilitação para o casamento de sua irmã Rachel (Rosemarie deWitt). Kim utilizou drogas por um longo período, causando uma desestabilização na sua família. Com a sua volta, todos os problemas de antes voltam e desestruturam a família.

Eu só não entendi direito o papel da mãe na história toda. Ela se mantém afastada da família, chega atrasada ao treino do jantar de casamento, sai mais cedo na noite de casamento e ainda por cima bate na filha quando confrontada. E após ter batido (e apanhado também), não vai falar com a filha para pedir desculpas nem nada. O pai se mostrou bem mais presente na vida das filhas e também muito mais emocional.