Livro – A grande magia – Vida criativa sem medo

A grande magia
Sinopse

Ao compartilhar histórias da própria vida, de amigos e das pessoas que sempre a inspiraram, Elizabeth Gilbert reflete sobre o que significa vida criativa. Segundo ela, ser criativo não é apenas se dedicar profissional ou exclusivamente às artes: uma vida criativa é aquela motivada pela curiorisade. Uma vida sem medo, um ato de coragem.

A partir de uma perspectiva única, “Grande Magia” nos mostra como abraçar essa curiosidade e nos entregar àquilo que mais amamos. Escrever um livro, encontrar novas formas de lidar com as partes mais difíceis do trabalho, embarcar de vez em um sonho sempre adiado ou simplesmente acrescentar paixão à vida cotidiana. Com profunda empatia e generosidade, Elizabeth Gilbert oferece poderosos insights sobre a misteriosa natureza da inspiração.
Livro
Livro de capítulos curtos repleto de histórias pessoais da Elizabeth e insights. Rápido de se ler, bom para ver as coisas de um modo diferente, mostrando que a a realidade não é simples nem fácil, apesar de parecer:
… a questão não é tanto “O que você ama fazer?”, mas sim “O que você ama fazer o suficiente para conseguir suportar os aspectos mais desagradáveis do trabalho?”…”
O tema central é a criatividade, presente em todas as áreas, mas os relatos focam basicamente na escrita em si, o que é de se esperar, já que Elizabeth conta muito sobre a própria história e pessoas ao seu redor.
“Você tem a coragem necessária? Tem coragem de trazer à tona esse trabalho? Os tesouros escondidos dentro de você estão esperando que você diga sim.”
E você tem a coragem necessária?

Ler ler ler

Desde que me entendo por gente, sempre tive um livro na mão. Lembro de ir todos os dias à biblioteca, no intervalo da aula, para devolver o livro lido e pegar outro. Sou assim até hoje: sempre estou lendo um ou dois (ou três!) livros. A tecnologia ajudou no vício em ler. Antes tinha que carregar o livro físico na mochila/bolsa, aumentando o peso e muitas vezes fazendo que desistisse. Afinal, quem carrega Moby Dick ou Game of Thrones por aí?! Hoje é possível ler no celular, tablet, computador ou em leitores próprios, que pesam poucos gramas independente do tamanho do livro. Olha que facilidade!

Essa tecnologia fez aumentar e muito a quantidade das minhas leituras. Já que o livro está sempre comigo (quem sai sem celular atualmente?), qualquer tempinho à toa é motivo para sacar o celular da bolsa e começar a ler. Então salas de espera, filas de mercado, transporte público são períodos muito mais aproveitados. Tudo isso aumentou o número de livros lidos.

Ano passado estipulei uma meta de ler 40 livros (sei que não tem a listagem dos livros lidos em 2014 e 2015, preciso resgatar do Goodreads), que foi atingido. Confesso que com uma certa dificuldade, afinal é aproximadamente finalizar um livro a cada 10 dias.

Além de aproveitar todo o tempo livre, tem que ter um pouco de disciplina também. Afinal ficar passeando pelas páginas de redes sociais, joguinhos, TV e muitas outras coisas podem diminuir o tempo disponível para ler. Então, além de aproveitar o máximo possível períodos livres durante o dia, antes de dormir também dedicava a leitura.

Como disse anteriormente, geralmente leio mais de um livro ao mesmo tempo. Sempre escolho algo que eu queira aprender mais e uma ficção. Como são temas totalmente diferentes, diminui as chances de confusão e  de misturar as histórias. O período das leituras também são diferentes: durante o dia, quando tendo a estar mais atenta, leio o tema que quero aprender; e antes de dormir, quando estou mais cansada, fico com a ficção (que não requer tanta atenção).

Não é uma regra, mas é a que mais funciona comigo. E você tem alguma técnica de leitura?

Livro – Oportunidades Disfarçadas

 

OportunidadesDisfarcadas

 

“Em momentos de dificuldade, a imaginação é mais importante do que o conhecimento.”

Albert Einstein

Um dos livros que li durante o mês de março foi o livro Oportunidades Disfarçadas, de Carlos Domingos. O livro narra diversas histórias de surgimento e/ou superação de empresas, tanto nacionais quanto internacionais, dos mais diversos setores (exemplo: Avon, Natura, O Boticário, McDonalds, TAM, Hãagen Dazs, Toyota, Sony, Casas Bahia, Honda, Victorinox). O livro é dividido em tipos de dificuldade, que também pode ser visto como oportunidades, e atitude das empresas perante o cenário da época.

Fica claro perceber que o sucesso depende da persistência, em pensar fora da caixa e muitas vezes com uma dose de sorte. O livro foca em contar somente o caso específico que houve uma oportunidade/dificuldade e o resultado, não relatando toda trajetória de cada empresa (senão o livro ficaria imenso e maçante). Como são empresas super conhecidas, não acaba sendo um problema e ainda proporciona fatos interessantes (por exemplo, não sabia que o lucro do McDonalds não provém do ramo alimentício)

É uma leitura rápida, proporciona uma visão do mundo empresarial e pode trazer insights de ações para sua própria vida.

 

 

 

Sem saber

Sabe aquela cena em filme/livro em que a personagem principal recebe uma carta ou vê algo que muda todo o curso da história?  E então a história vai para um ponto totalmente diferente, com outras personagens e… chega o final da história e acaba tudo bem, com todos felizes. Só que ficamos sem saber o que foi visto ou lido naquela cena tão decisiva.

Quando isso acontece me dá uma raiva imensa. Terminar a história sem saber qual foi o motivo que levou  ao perdão, para a reconciliação ou apenas ao final do filme é um saco. Entendo que não contar tem seus mistério também. Continuar com a magia, deixar por conta da criatividade também é bastante estimulante. Esse fato aconteceu com o último livro em que li: Desculpa se te chamo de amor, de Federico Moccia. Uma linda história de amor entre um casal que posuem visões e estilos de vida totalmente diferentes, além de existir uma grande diferença de idade (aproximadamente 20 anos). Eles reconciliaram após ela ter recebido uma carta escrita por ele e vai até o seu encontro. Agora a pergunta que não quer calar: O que a carta continha?

Ah, mas isso é algo que nunca saberemos. Ou melhor: cada um poderá escrever a carta que melhor lhe apetecer dando asas para a imaginação.

Obs: Parece que foi publicado a continuação dessa história. Infelizmente não foi lançada uma versão em português, mas para quem sabe ler em italiano fica a dica: Scusa Ma Ti Voglio Sposari.

Livros que viraram filmes

Acabei de ler Julie e Julia, um livro que já virou filme. Um livro  bom, apesar de ter muitos nomes (em francês) de receitas ao qual não tenho a mínima idéia do que se trata. Adorei a atuação da Meryl Streep, principalmente a vozinha afetada dela. E até acho que ela deveria ter ganho o Oscar em vez da Sandra Bullock.  Ler esse livro me fez pensar em todos os livros que viraram filmes e tentei fazer uma lista com os filmes que originaram de filmes e que eu tenha assistido o filme e lido o livro. Os filmes/livros que lembrei foram:

Alguns títulos de filmes originados de livros

– O Cliente

– Ensaio sobre a cegueira

– Série Harry Potter

– Senhor dos anéis

– Série Crepúsculo

– O menino do pijama listrado

– Crônicas de Nárnia

– O Silêncio dos inocentes

– As brumas de Avalon

– O colecionador de ossos

– O código da Vinci

– Marley & eu

– Carandiru

– O caçador de pipas

– Julie & Julia

Sei que existem outros tantos de filmes que foram baseados em livros, como O paciente inglês, A lista de Schindler, entre tantos outros. Mas mesmo que tenha assistido o filme, eu não li o livro e por isso ficaram fora da lista. E eu devo ter esquecido vários outros títulos ao qual eu tenha lido e assistido o livro e filme, respectivamente, já que a minha memória não é das melhores.

Fora isso, acredito que a maioria dos filmes seja baseado em algum livro ou pelo menos utilize referências de livros. Afinal, criar enredos deve ser muito parecido “Nada se cria, tudo se modifica”, como é em programação (minha ex-área de atuação).  Agora estou esperando estrear o filme “Comer, rezar e amar”. Li o livro e gostei bastante. Vamos ver como a Julia Roberts se sai no filme!

Cães e livros




Leka e Lana

Originally uploaded by Fernanda Yamato

Cada vez que vou à livraria descubro um livro novo a respeito de cães, gatos, animais ou afins. E não são livros a respeito do padrão da raça ou adestramento ou cuidados com os animais. São livros com contos, histórias de pessoas com seus animais, junção de histórias de várias pessoas, etc. O livro mais conhecido desse gênero é Marley & Eu, de John Grogan, que li e assisti o filme. Depois disso surgiu inúmeros livros a respeito do assunto, por exemplo, De Bagdá, com muito amor, de Melinda Roth, Orson, de John Katz, entre outros.

Em uma das visitas à livraria comecei a folhear o livro do Walcyr Carrasco que fala a história do cão dele, Anjo de quatro patas. Nesse livro ele relata um pouco da vida dele, de como o Uno, um husky siberiano, surgiu na vida dele e como foi a convivência dos dois. Sinceramente não sei como o livro termina, pois fiquei lendo na livraria e acabei nem comprando. Mas a primeira vez que li sobre o Uno foi na crônica que ele escreve na Veja São Paulo. Era uma despedida ao Uno, que havia falecido. Apesar de ser uma crônica de apenas uma página na última página da revista, ele ficou espantado com a quantidade de emails e cartas que ele recebeu após a publicação. Todos solidários com a perda e contando sobre seus animais de estimação também.

Observando isso e a quantidade de itens existentes para nossos animais (Sim, eu também sou apaixonada por animais, cães em especial) percebe-se que muita coisa mudou. Hoje os cães não são mais vistos como cão de guarda ou um simples cão, agora eles são integrantes da família. E integrantes ativos!

Fico feliz que as coisas tenham mudado, mas muita gente tem humanizado os cães. Tratam realmente como filhos e não mais como cães. Os cães, apesar de terem contato mais próximo com as pessoas, ainda são cães e possuem seus instintos. E eles precisam que esses instintos sejam respeitados. Então respeite-mos!

Ps: na foto são minhas duas neguinhas: Leka e Lana

100 coisas sobre mim

1 – Sou formada em Zootecnia e graduanda em Ciência da Computação
2 – Tenho duas labs: Leka e Lana
3 – Adoro livros e não me incomodo de ler no computador, mas minha concentração é menor quando leio no computador
4 – Era uma boa aluna no colégio, já na faculdade nem tanto.
5 – Sou viciada em seriados e filmes. Apesar que ultimamente não tenho gostado dos finais dos filmes. Sempre tenho a impressão que poderia ter sido melhor
6 – Tenho um IMC de quase 17, um dia chego no 18 e viro uma pessoa normal. Mas mesmo assim tenho complexo com a minha barriga
7 – Detesto comprar calça, nunca acho do meu tamanho
8 – Comecei a me interessar por maquiagem há pouco tempo
9 – Adoro dirigir, principalmente na estrada
10 – Detesto programas de trote que passam no rádio
11 – Adoro cozinhar, apesar de quase não ir para a cozinha
12 – Adoro ver receitas quando estou com fome
13 – Prefiro fazer doces, apesar de não ser chegada em doces
14 – Adoro ir em restaurantes diferentes, principalmete para conhecer comidas diferentes
15 – Nunca viajei para o exterior
16 – Meu livro favorito é Pollyanna e adepta do “pelo menos”. Para quem não conhece a história, leia. Vale a pena
17 – Detesto política
18 – Controlo meus gastos para evitar surpresas no fim do mês
19 – Faço academia há 3 anos e ainda não gosto de malhar
20 – Tenho escoliose e tendinite
21 – Trabalho melhor ouvindo música
22 – Tenho vergonha de cantar na frente dos outros
23 – Tenho mania de organização
24 – Preciso de rotina na minha vida
25 – Invisto em renda fixa e variável
26 – Tenho alergia colinérgica e alergia a meia-fina. Bizarro né?
27 – Não consigo dormir com som ou luz no ambiente
28 – Tenho bruxismo, mas não sei qual a causa
29 – Uso óculos, mas dificilmente alguém me vê usando
30 – Morei durante 5 anos em Botucatu
31 – Não acordo mais cedo para tomar banho, mas não importa a hora que eu chego, tenho que tomar banho antes de ir dormir. Detalhe: tenho de lavar o cabelo, não importa a hora
32 – Bebo cerveja, apesar de não gostar muito do sabor
33 – Fiz aula de piano clássico, mas atualmente não sei se consigo tocar mais
34 – Falo demais quando estou nervosa
35 – Gostaria de saber contar piadas
36 – Não sou uma pesssoa bem humorada ao acordar
37 – Minha coordenação motora não é das melhores
38 – Já desmaiei algumas vezes
39 – Quero aprender a tirar fotos decentes e utilizar aquelas máquinas com ajustes manuais
40 – Adoro jogos de lógica
41 – Não fico morena, fico vermelha após tomar sol
42 – Sei fazer crochê, mas não tricô
43 – Prefiro Burger King do que McDonald’s
44 – Sempre aperto o meio do tubo da pasta de dente.
45 – Nunca quebrei nenhum osso, apenas tive torções
46 – Nunca tive gatos
47 – Não me importo de ouvir a mesma música diversas vezes seguidas quando realmente gosto dela
48 – Desacostumei a assistir seriado com comerciais
49 – Durmo em torno de 6 hrs por noite todos os dias
50 – Não bebo café normalmente, apenas quando realmente preciso ficar acordada
51 – Sou descendente de japoneses, mas não sei falar japonês nem preparar comida japonesa. Uma vergonha, eu sei
52 – Não consigo usar bolsa pequena e ultimamente nem carteira pequena. É tanta papelada lá dentro. Dinheiro que é bom, necas
53 – Ironia, sarcasticidade, mal humor e impaciência são minha marca registrada
54 – Converso comigo mesma (sim, com perguntas e respostas também!) e em inglês, mas não, meu inglês não é muito bom
55 – Tenho problemas em guardar assuntos importantes na memória, mas cultura inútil é comigo mesmo
56 – Já usei lente de contato. Tive de parar por conta de uma úlcera em um dos olhos
57 – Apesar da minha mania de organização, essa lista não está organizada de maneira alguma
58 – Sou péssima para cuidar de plantar, já animais sobrevivem na minha mão
59 – Não sei lidar com crianças, mas por algum motivo desconhecido elas gostam de mim
60 – Aprendi que faculdade te ensina um monte de coisa que você nunca utilizará na vida profissional
61 – Gosto de comidas que muita gente não gosta, como rabada, dobradinha, fígado, língua e coração bovina e jaca
62 – Suco de melância é meu suco predileto e eu adoro Fanta Uva. Fiquei super contente quando voltaram a produzir
63 – Não como carne de porco, exceto na feijoada ou a costela do Outback
64 – Adoro gadgets, principalmente celulares
65 – Sou uma pessoa extremamente friorenta
66 – Vivo exagerando na comida e depois tento compensar na academia
67 – Tem dias que gosto do meu cabelo, mas de maneira geral gostaria que fosse diferente
68 – Sou desastrada e estabanada, e vivo sujando a roupa quando como
69 – Gosto de estalar os dedos
70 – Tenho ciúmes das minhas coisas e por isso não gosto muito de emprestá-las. Outras pessoas nunca têm o mesmo cuidado que eu
71 – Meu despertador é meu celular e acordo ouvindo música
72 – Queria aprender a tocar saxofone
73 – Não tenho férias de fato há 3 anos
74 – Arranquei todos os meus dentes do siso. Sou uma pessoa sem juízo
75 – Tenho o 2º dedo do pé (aquele que fica ao lado do dedão) mais comprido que o dedão. Sou uma pessoa mandona por isso?
76 – Sou noturna. Passou das 22 hrs perco totalmente o sono e ele só volta lá pela meia noite e tantas
77 – Esqueço datas, não lembro o nome das pessoas, não consigo ligar a pessoa ao nome. Imagine o quanto sofri de trote na faculdade por causa disso. E hoje é meu namorado que me lembra das nossas comemorações
78 – Como uma boa ariana, sou altamente competitiva
79 – Não sei pintar minha unha direito, principalmente a dos pés
80 – Internet foi uma das melhores invenções dos últimos tempos
81 – Adoro cheiro de grama molhada. Tem coisa melhor que cheiro de chuva?
82 – Não sou fã de esportes e não acompanho nada, nem Olimpíadas nem qualquer evento esportivo
83 – Nunca fiz bolo de caixinha. Aliás, acho que nunca fiz bolo nenhum na vida
84 – Antes eu não chorava em filmes, agora sou a mais manteiga derretida. Choro até em desenho
85 – Tenho uns sonhos muito estranhos e muitas vezes trago os sentimentos do sonho para a vida real
86 – Fiz aulas de japonês durante anos, mas hoje não lembro de quase nada
87 – Tenho um cuidado especial pelo meu carro, e o considero como minha segunda casa
88 – Adoro guardar tudo quanto é coisa e de tempos em tempos tenho que fazer uma limpeza nas coisas. Resultado: jogo um monte de coisa fora
89 – Gostaria que meu cílios fossem curvados e eu não precisasse mais usar curvex
90 – Vivo procrastinando um monte de coisa e depois tenho de varar a noite para deixar tudo pronto
91 – Separo a roupa do dia seguinte na noite anterior
92 – Não gosto de roupa estampada, minhas peças geralmente são todas lisas
93 – Não sei se tenho labirintite ou algo parecido, mas passo mal se sento de costas para o sentido que estou indo, por exemplo em trem. Máximo de lado, mas de preferência tem que ser de frente para o sentido do meio de transporte
94 – Não gosto de rede, passo mal com o balançar dela
95 – Não tenho secador de cabelo. Preciso comprar urgente, mas sempre aparece outra coisa mais importante para comprar e acabo postergando
96 – Detesto vendedores de loja que ficam te seguindo enquanto está vendo vitrine. Saio da loja e desisto da compra
97 – Tenho compulsão em comprar livros. Tem uma pilha enorme para ser lida e continuo comprando mais
98 – Gosto de video-game, mas não jogo muito. Fico com a impressão que é um tempo perdido e poderia fazer algo bem mais útil nesse tempo
99 – Gostaria de ser mais paciente, calma, menos ansiosa, mehor memória e ter mais concentração. Como faz?
100 – Muito difícil fazer uma lista assim. Fiquei sem idéias várias vezes. Parabéns por ter chego até aqui! Achei que ninguém fosse ler até o final.